Arísia Barros

 

Conhecida, nacionalmente, pelo ativismo social preto-político, é professora, redatora publicitária, escritora e coordenadora do Instituto Raízes de Áfricas, em Alagoas. “Especialista em Educação ‘Lato Sensu”, em Língua Portuguesa e Literatura Brasileira pela Universidade Cidade de São Paulo Brasileira. Como ativista negra foi propositora, articuladora e co-autora, no estado de Alagoas,  da Lei Estadual 6.814/07 que estadualizou a Lei Federal nº 10.639/03, que estabelece o estudo de Áfricas e dos afro descendentes nos currículos escolares das escolas brasileiras. Propositora e articuladora, através do Instituto Raízes de Áfricas, junto ao Governo do Estado do Fundo Estadual de Políticas para Promoção da Igualdade Racial,

Propositora e articuladora junto a prefeitura de Maceió, da revitalização com a colocação do Totem e placa com o nome da Praça Ganga Zumba, no bairro de Cruz das Almas. Pelo ativismo político negro recebeu a Comenda Zumbi dos Palmares da Câmara Municipal de Maceió. Primeira mulher preta alagoana a receber o Diploma Medalha Mérito Legislativo da Câmara Federal, 26 de novembro 2014.

Primeira mulher negra, em Alagoas, a receber a medalha Destaque Mulher Negra, em Minas Gerais, julho 2016.

Também é blogueira. Seu blog RaízesdeÁfrica no site CadaMinuto.tem em torno de 70 mil acessos mês.

Escreveu: A Pequena África chamada Alagoas (2007),O Racismo é um Camaleão Poliglota, (2011)Participou da Coletânea de Poetas Novos,1978 e Coletânia Literária- (contos e poemas)-, agosto 2004, Alagoas em Cena

É consultora para elaboração de programas para equidade racial/pesquisadora no estudo das relações etnico-raciais.